KaRoLL


10/08/2005


Triste Alvorada


“Até onde pode ir um amor?
Pode ir além do pensamento lógico
Sinto-me congelando de frio no calor

Ando e não penso pra onde ir
Vou em cima dos meus medos
De encontro mas querendo fugir

A razão fica esquecida
Quando o amor é doentio
Quando da loucura não há saída

Noites em claro com medo de sonhar
Sonhos perfeitos desejando nunca acordar
Vida sem rumo desejando não amar
Sofrimento sem fim, ir e não estar

Um amor pode arrancar
De um peito a vontade de viver
Um amor pode destruir a vida
Amar nada mais será do que morrer

O senso crítico esse não existe
Na mente do que ama
O desespero e sofrimento
Incessantemente chama

Porque não tenho a mão amiga
O suor do caloroso encontro
De faíscas de amor dançante
Que pra este estive sempre pronto

Por que não é aconchegante o amanhecer?
Com sol e flores a nascer
Só porque não tenho teu carinho
Apenas por estar aqui sozinho...

E vejo tanta beleza sem reconhecer
Tenho tantos amigos sem merecer
Porque te amo e não vejo mais nada
A linda é agora triste amarga alvorada”

Escrito por karoll às 21h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sul, BLUMENAU, Mulher, de 20 a 25 anos, Portuguese, French, Música, Viagens
MSN -

Histórico